quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Feliz Ano Novo

Feliz ano novo a todos meus leitores e amigos. Como vocês devem ter lido, a queima de fogos foi suspensa em Dubai, uma ação louvável do governador do emidado, Sua Alteza Sheikh Mohammed bin Rasheed Al-Maktoum.

Sinceramente, sempre detestei viradas de ano. E acho sensacional essa puxada de orelha nessa gente com pouca educação e muito dinheiro. Enquanto eles bebem tem gente perdendo um filho, uma mãe, um pai.

Feliz 2009.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Incredible United Arab Emirates.

Ontem finalmente cruzei com minha flatmate filipina (não a vi em dezembro). Ela me contou uma história que me caguei de rir:

Estava ela linda e neusa indo para Ras al Khaimah, um Emirado próximo que dizem ter belas praias (juro, é pior do que Torres-RS), quando cruzam com um senhor de idade árabe obeso e molhado.

- Vocês devem chamar a polícia! Polícia!

O namorado australiano da neusa perguntou o motivo. O motivo estava no mar: uma cabecinha lááá longe.

- Estava navegando com meu amigo quando o uma onda bateu e a embarcação se rompeu.

Quando o casal viu uma cabecinha indiana nadando em direção ao náufrago para um poss[ivel resgate (!!!), ligaram. Pois a cabecinha indiana nadou, nadou, nadou. Não alcançou a cabecinha árabe e parou. A distância era grande demais e, obviamente, o indiano se cansou.

Chamaram a polícia, pois. E quando ela chegou, o árabe em terra teve que se explicar. Mostrou o que sobrou da embarcação.

Explico: era uma caixa de isopor dessas de colocar cerveja. Pois esses dois seres árabes obesos tentaram navegar o mar arábico com uma caixa de isopor.

Se morressem, mandaria pro Darwin.

Pois é. Isso e muito mais você só vai encontrar no Pará nos Emirados Árabes.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Negócios dos chinas

Acabo de chegar de Pequim (ok, cheguei no dia 24 de tarde, isso é fato, mas a garrafa inteira de tequila que sorvi nas festividades não me deixou explanar nada, hic!) e estou bem puta.

Mamãe me deu um dinheirinho para eu torrar no Silk Market e trazer cacarecos chineses pros amigos. Em teoria os 100 dólares virariam um dinheirão para comprar reloginho do Mao, bonequinha chinesa e roupinha estilo Gong Li.

Lógico que funcionaria pra todo mundo. Mas não pra mim.

Olha, não me levem a mal. Eu sei pechinchar. Tá, não sou como minha falecida sogra ou minha energética cunhada - paquistanesas com certeza que transformam oitenta em oito. Vejam bem, meu sangue é meio misturado e a turquice pegou leve.

A questã é que não tenho saco e fibra pra agüentar a chinesada berrando com uma calculadora ao meu lado tentando me convencer que seu produto é a fina flor do artesanato local. Meu fiofó. Quem não sabe que aquela bagulhança é produto de trabalho infantil e aquelas mãozinhas pequenas não tem destreza suficiente para costurar algo decentemente? Os vendedores me puxavam de um lado para o outro, apertavam números absurdos em suas calculadoras e falavam muito próximo ao meu rosto que "very special price for very best friend from England", O bato de alho batendo e eu cada vez mais irritada.

Sim. Amiga inglesa. Americana, canadense, you name it. Tudo menos baxiren (brasileira). Ou seja, olá menina branca com cara de gringa rica, seja bem vinda ao meu estabelecimento, vou arrancar sua pele e fazer você pagar uma fortuna.

Fizeram.

Porque eu queria uma bonequinha de uma dan (a figura feminina da ópera chinesa) ao melhor estilo Mei Lanfang. Custou 180 RMB (quem tiver saco de converter isso no XE Currency me diga como fui trouxa). E um casaco de inverno preto com nós chineses. Bosta. Encontrei e era como queria.

Ou seja: a economia chinesa, mesmo em tempos de crise global, deu um salto com a minha visita. Maldita pele branca e nariz arrebitado!

Saí do recinto batendo os pés e me enfiei no odioso Starbucks. Quando reencontrei meus colegas não preciso nem dizer que eles pagaram muito menos do que eu. Dois indianos, uma ganense e uma filipina. Ainda fizeram chacota da minha pataquada.

Negócio da China my ass. Agora compro tudo no aeroporto. Mesmo que seja tão caro quanto, ao menos o preço é fixo... Detesto essa história de "oi, cara de inglesa, você paga mais porque é branca de nariz arrebitado".

E você, caro leitor, se estiver na China a passeio saiba bem que, caso visite esses centros de compra, recomendo que leve seu tacape e cocar e apito. Prefiro investir minha diária nos ingressos da Ópera de Pequim. Ah, sim, cultura, bendita. Sou nerd, perdi "Red Cliff" porque os ingressos estavam esgotados.

Duuuh.

Escreverei 100 vezes no quadro negro que "ao visitar Pequim, devo comprar ingressos para a ópera com certa antecedência" e 500 vezes "Silk Market meu cu".

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Moskau, Moskau!

É. Tô indo pra Moscou em janeiro. Não uma, mas duas vezes! Uhu! Vou superar meu medo de infância - tinha medo de russos. Mas nunca o pavor que tinha dessa bichona embigodada do Dchinghis Khan...


Dschinghis Khan - Moskau



Ja, Russland ist ein Schönes land.

E se fingir que sou surda e muda não pagarei 600% a mais em algum souvenir - como acontece comigo em Pequim. Ah nem conto o nervoso que me deu quando vi a guria de Gana e a da Índia conseguindo preços beeeeeem menores do que eu na p*rra do Silk Market...

Ainda compro uma bota branca para usar com legging vermelha e casaco de vison falso (porque Karina for scum my ass).

domingo, 21 de dezembro de 2008

vou ali comprar cigarros e já volto (Feliz Natal)



- O Wall Street Journal publicou uma matéria sobre o estilo de vida glamuroso dos comissários de bordo da Emirates. Vejam a reprodução da matéria aqui no blog do Ben - roomate do Kah, minha libanesa favorita;


- Realmente não me enquadro. Porque acho esse povo cafona e pá, sou caseira.


- Ando estressada, menstruada, mal humorada e com computadores surtados. Minha TPM está como "hosana"... Nas alturas!


- Desculpem-me pelo supracitado chiste ruim;


- Vejam como será meu perrengue para tirar carteira de habilitação aqui em Dubai... Acho que vou comprar uma bicicleta.


- Não tô com peitica de não ter visto a puta véia. Porque a Joelma não me decepcionou e I had the time of my life com minha patota no CTN.


- Vou pra Pequim e já volto. Para arrumar os computadores da casa, passar o natal com mamãe e... Depois eu volto.


- Enquanto isso juntarei 180 tampinhas de Velho Barreiro. Com mais R$ 1,50 troco tudo por uma bola de futebol. Weehee.




- Soube apenas hoje do falecimento do marido da Susana Vieira. Adorei o macumbão. Su, roga uma pro meu ex?



- Feliz Natal pra vocês. Mesmo que vocês tenham esquecido do meu Eid.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Vivo em um emirado árabe. Vejo de tudo por aqui. Convivo com mocinhas de uma certa parte da europa que saem às ruas de calcinha e baby doll e, quiçá, aprenderam a fazer bola-gato aos 5 anos com suas mamães. Ou mocinhos daquela parte do subcontinente que conseguem abandonar um veículo na pista do principal aeroporto do país e atrasa centenas de vôos.

Sinceramente, muita pouca coisa me surpreende.

Recentemente um grande amigo teve seu celular furtado em uma recepção no seu apartamento. Puta que pariu. Pão ovice tem limites. Isso me faz perder todo o tesão de receber gente em casa. Acho que passarei o natal no quarto assistindo House.

Porque gente canalha em qualquer canto do planeta.

Ilustro minha revolta com esse vídeo. Para refletir.



* roubei do Celso Dossi, lógico.

cacete de agulha

Dica da Eve, minha correspondente em Vilhena (RR) e Lahore, Paquistão.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Tô indo!

:(((

Tô me sentindo como gato indo pro banho. Muito pouco tempo para tanta coisa pra fazer. Não consegui encontrar metade dos meus amigos e ainda não resolvi o tripopó do meu diploma. :((((

Ok, volto em março, o tempo voa, yadda yadda yadda. Obrigada a todos os amigos que encontrei, que conheci, que não consegui reencontrar. Agora vou terminar de arrumar a mala para me mandar pra Dubai.

E pra já entrar na vibe dos golimar, Golima-ar-ar-ar. Ah, enquanto não posto por aqui visitem o blog do Fred.



E pra quem não viu o Golimar contando piada (dedico a Paola):

sabedoria popular

"Moça, você mora na rua do Pão de Açúcre, né? ... Que só tem açucre no nome porque os preços são salgados... Sim, os produto são o mesmo mas é os zóio da cobiça. Por exemplo, o mesmo produto que está no Pão de Açúcar é o que está no Santa Luzia. Mas eu não posso no Santa Luzia... É moça, no Santa Luzia tem os zóio da cobiça. Eu não tenho zóio da cobiça."

"Esses presidente tudo fazeno guerra. Diviria entrar numa arena e sair no tapa. Ganha o país do presidente que ganhá. Tipo Bush e Saddam Hussain saindo no tapa... Eu acho que o Iraque estaria resolvidi se fosse assim."

Geopolítica e economia em poucos minutos que ligam Pinheiros a Higienópolis. Adouuuro.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

se um ursinho rosa eu fosse...

Identifiquei-me. Roubado da Bat Biscate, lózico.

infinita tristeza

Minhas férias estão chegando ao fim. Apesar de gostar muito de Dubai e de meus amigos de lá, vocês sabem, minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá. Já estou morrendo de saudade de pessoas que nem consegui encontrar - e ainda mais das quais me aproximei ainda mais.

Volto em março, é verdade. Mas até lá... Ficarei sem ele:



Tony fifando. Todo dia é dia de alegria na hora do "fifo".

domingo, 7 de dezembro de 2008

Saideira.

Odeio quando o sábado acaba. Damn! Deixo essa procês de saideira. Mwah. Porque eu ADORO inclusão digital.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Caravana de Higienópoliiiiiiiiiiiisssss!!! Caravana dos Jardiiiiinssss!!!


Eu fui. Ele e ele também foram.

Realizei um sonho. Já tinha riscado "foto com a melhor amiga de infância em Paris" da minha lista de coisas a fazer antes de morrer (ok, super falta foto com a Cê em Petra e com a Ju em Piraju, mas ainda temos tempo)... E ontem risquei "assistir um show da Banda Calypso ao lado de Celso Dossi". De brinde ainda tive a companhia de outros dois amigos tão queridos: Ludo e Dri Spaca. E também tive o prazer de conhecer os gatíssimos Carlos, Victor e Rodrigo, um brimo (ele é sírio mas é gente boa), e ser reapresentada de forma amigável ao engraçadíssimo Jayme - tô sabendo que fui esnobe com ele em um chill in chez Tony. Não é que eu seja esnobe, eu sou desligada. Já criei várias inimizades porque dizem que viro a cara quando realmente não estou vendo a pessoa ou não entendo a situação porque estou no mundo da lua.

Mas, enfim, Calípiçoooooo!!!

Nos encontramos no metrô (expeciência antropológica completa) e seguimos até o CTN (yeah, baby, Centro de Tradições Nordestinas), onde tivemos o prazer de degustar 400 ml de caipirinha por 8 reá.

Preconceitos à parte: foi uma das noites mais divertidas do ano. Ganhei um pacote de wafer durante o tiro ao alvo com rolha e o Celso conseguiu uma bola do Quico pra Dri. Quando Joelma entrou no palco, juro, meu coração pulou e fiquei arrepiada. Cabelo miojo, coxa grossa, Chimbinha.

Some os 400 ml de bebidas com gelo seco (eu disse que aquilo podia intuchicá) aos freqüentadores locais e nem te conto quem curtiu o bigodinho erótico de porteiro (eu não fui).

Pois é, xuxu. A felicidade não custa tão caro, não. Por 15 reais + 1 bilhete de metrô me diverti ao lado de pessoas de qualidade.

700 contos de Madonna my ass. Agora eu quero é convencer a Dri Spaca a ir comigo ao Amado Batista!

Liciane só queria dançar, dançar, dançar, dançar...

Adoro Liciane, a psicopata. O melhor é o molequinho de fralda (parece o Saj quando era pequenininho, super estou tendo uma visão do meu futuro).

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

prende os pixadô!


Amigos protestam pichando muro. Porque a amiga, uma gaúcha de 23 anos, foi detida durante o ato de pichar.

O que eu acho?

Que é uma pena estarmos no Brasil e não na Arábia Saudita. Pichar muro é vandalismo (antes que os "inguinoranti" me chochem, pichar é uma coisa e grafitar é outra) e acho que deveriam mandar essa turma de café da manhã pra ROTA.

- Alôuu, Conte Lopes? Tenho um presentim!!!

Sem falar que são burros pra cacete. "Negrigencia". Ô falta de Leite Ninho na primeira infância.

"Vão se foderem."

(sim, sou reacionária e libanesa. E se um cavaleiro de ouro fosse, Máscara da Morte eu seria)

é hoje!

Dúvida cruel: vou de calça corsário jeans e tamanco ou saia jeans?

kkkkkkkkkk

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

obrigada, Ludo Diniz, pela graça alcançada

Já tem alguns anos que escuto essa música na balada, na Alpha FM e nunca consegui o nome para baixar no Emule para comprar o CD hehe. Obrigada, Ludo. Obrigada por ter ido a Pucci e ter tido o maravilhoso insight de indicar essa aqui no teu blog.

Mwah. Agora vou ouvir 20 vezes.

(eu falei que isso ia dar merda)

Brasil aprova venda de 100 mísseis ao Paquistão.

Minha fluoxetina.


I'm Shaka from Bangalore, I have British passport, gimme tea!

Juro, assistir Cavaleiros do Zodíaco me carmô ontem. Estava a ponto de explodir de réiva - o motivo não vem ao caso. Dei-me de presente a coleção INTEIRA de DVDs (devo não nego e pago quando puder, viu HSBC?) e, uhulll, foi melhor que fluoxetina!

Perguntinha nerd: alguém aí sabe onde baixo skins dos Cavaleiros pro The Sims 2? Porque pro 1 eu já tenho (e a Bubu casou com o Shaka, o indiano loiro, no meu mundinho autista huahua, que o marido não leia essas linhas).

Agora vou empacotar tudinho e levar pra Dubai. :D Ah, minha mãe vai comigo. Vamos passar 2 meses aprontando todas e pintando o 7 lá no emirado mais xuxu do mundo. Vai ser um natal do barulho!



E o ranking dos meus cavaleiros favoritos (caso você esteja curioso - ou não) é: 1. Shion de Áries, 2. Mu de Áries, 3. Máscara da Morte de Câncer, 4. Saga de Gêmeos, 5. Shaka de Virgem e 6. Aldebaran de Touro (ele é brasileiro, gentem). E dos babaquinhas de bronze eu gosto do Shun, a bibinha que fica nervosa e acorrenta todo mundo. Eu sei que eu sou nerd, mas o blog é meu e foda-se. :) E pra completar o post a libanesa tinha que ser o:

Quem é você nos Cavaleiros do Zodíaco? Versão Cavaleiros de Ouro!

Guilty Pleasure

Não feliz em completar a coleção de DVDs da fase Santuário (acho Asgard e Poseidon uma bosta), agora estou assistindo Cavaleiros do Zodíaco em italiano no Youtube. ADOOOURO!!!

Ovulei porque o Máscara da Morte é italiano, porque é o meu cavaleiro de ouro favorito (depois do Mu, ló-gi-co) e porque não vale o que o gato enterra.



Senza il settimo senso, vaffanculo Sirio!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Daminhas de Ferro


Adoro apertar "Janick Gers" no search do Google Images pra ver quanta gente chupinhou fotos que eu tirei do guitarrista idoso do Iron Maiden. Poucos sabem mas já tive fã clube do véio. É.

Ainda bem que isso ficou para trás, que virei patricinha, troquei coturno por Manolo if you know what I mean. Mas, bem, isso não vem ao caso.

O cauuuso é que descobri as Iron Maidens: uma bandinha cover do Iron Maiden. Com Nikki McBrain e Steph Harris. Adouro! Como não pensei nisso antes? Ok, pensei, mas nunca aprendi a tocar guitarra - apesar de super usar "Karina Gers" como nick na net (sim, Karina Gers do fã clube sou eu e SIM, eu fiquei gostosa).

O melhor é que os arranjos são iguaizinhos e, sinceramente, gostei da voz rouca da vocalista indo mais pro Paul Di'Anno do que pro Bruce Dickinson - sempre gostei muito mais do Paul. E acho que Phantom of the Opera ficou até que honesta. Adoro a vibe sapinha caminhoneira pagando de gostosa com peito ovo frito.

Mas o melhor é a versão tosca de Number of the Beast... Pegaram o clipe original e barbarizaram. Arrasou! Olha, sexta-feira tem Banda Calypso no CTN e acho que a competição tá acirrada.

Acho que deveria aproveitar minha voz anasalada e criar um cover feminino de Pet Shop Boys. Adoro cantar "Can You Forgive Her" no chuveiro.

Porque eu nunca faria uma tatuagem...



Huahuahuahua, me pergunto se o tatuador usou aquela técnica de copiador de madeira que vendem na 25 de Março (sabem?).

o pior filme do mundo

dedico esse post ao meu amado BatBiscate

Eu AMO o Youtube. Acho coisas incríveis, mas não esperava encontrar o PIOR FILME DO MUNDO por lá. Ok, esperava sim porque tem tanto filipino no mundo que não deveria me surpreender...

Explico: estava entediada no avião (15 horas nonstop Dubai-São Paulo) e decidi assistir algo além do basicão que toda companhia aérea oferece (Friends, filminhos que estão no cinema, documentários, todessasmerda). Estava fuçando as opções de cinema asiático e ovulei quando vi "FILIPINO MOVIES". Huahua, eu AMO a Emirates.

Fiquei emocionada com o "Supahpapalicous" - uma espécie de comédia romântica com Chiquititas e Carrossel. O produto era realmente fino. Não parei de rir nos primeiros minutos com o nível trash metal da coisa. Tive até vergonhinha quando as pessoas bizoiavam minha tea.

A coisa melhorou aos 05h55 quando um anão entrou em cena. E se tem coisa que a libanesa gosta é filme filipino com anão.

Infelizmente não encontrei legendas na net. Mas quem precisa? Os primeiros 8 minutos foram colocação pura sem nenhuma droga (muita atenção com a criancinha de toca, totalmente lôca de bala). Sensacional, mal posso esperar para voar pra Manila e comprar o DVD!



Porque aprendo Tagalog nas horas vagas com minha flatmate.

Ano? Makate kiki!!! Putaca, malake puke!!! Salamaaaat!!!

mantra

Quando cheguei em Guarulhos, na última quinta feira à noite (alguém me fala se essa bosta de crase já caiu de uso porque eu não sei usar), dirigi-me ao caixa do estacionamento do aeroporto para pagar os 12 reais.

- É doze real.

Dei uma nota de cinqüenta. Também dei uma de cinco, tinha entendido 15.

- Pra que tu me deu 5?

- Pra te facilitar o troco.

- Má é dôuze - disse a creuzedete já virando os olhos.

- Ah, desculpe. Bem, se te facilita o troco...

- FACILITA NÃO! É DÔUZE REÁ! - berrou.

- Ok! Desculpintão...

- ME DÁ DOIS REÁ! - berrou.

- Não!!

Ela grunhiu, virou os olhos e me devolveu um troco cheio de moedinhas. Peguei o bilhete de estacionamento pago:

- E vá tomar no cu! - completei.

Adorei a expressão "não estou acreditando" da vandislene e de sua coleguinha ao lado.

Sim, cheguei intolerante. Tô Lindomar, o Sub-Zero brasileiro. Falou, tomou. Tô pra ver povinho tão Zé Ruela pra brigar por qualquer coisa, sô. Já vi que cortesia (e dente) está cada vez mais difícil.

É grosso? Pois eu sou corticeira.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Show do Amado Batista: NÃO VOU

Ovulei quando vi que estaria em Sampa para assistir ao show do Amado Batista. Porém, o show de Sampa será no mesmo dia do Calypso e não fode.

Liguei para a assessoria (cof cof cof) de imprensa para "maiores informações". A mocinha disse que não sabia informar o horário do show de Guarulhos, mas que seria logo após ao show de São Bernardo. Tipos... 01 am.

Huahuahua.

Clube da Ford em São Bernardo + 1 da manhã + ingresso de 15 reais = algo me diz que eu não vá, afinal, não quero que encontrem meu corpo no córrego do Sapopemba.

Grata,
Karina Libanesa

Como pode uma pessoa dormir tanto? Me acordem às 13h.

domingo, 30 de novembro de 2008

mensagem para Amanda

Amanda, chuchu, vou fechar a boca JÁ para entrar no super uniforme. Dia 10 devo estar por aí com mamãe. Vamos marcar algo. Aliás, se estiver de off, vou fazer ceia dia 24. Mesmo sendo da pá virada, huahua.

Quero te ver, poxa! Marquemos.

meme

Copiado do Every Woman's a Madonna. Aliás, passem lá e vejam a campanha dos animais de SC. Enquanto isso mijogo nesse meme. Adoro!

Onde está seu celular? No meu criado mudo. Com a bateria no talo.
E o amado? GMT +5, lá no Paquistão - e eu aqui em férias.
Cor do cabelo? Castanho médio.
Sua mãe? Dormindo no quarto dela. Estou em casa, em Sampa.
Seu pai? Em algum lugar do beleléu.
Minhas irmãs? Uma em Porto Alegre, outra em Chiclayo no Peru.
Seu filho? Dormindo com a minha mãe. Tony, um poodle branco.
O que mais gosta de fazer? Dormir, viajar, comer. Cozinhar, ler, escrever. Dar beijo na boca, fotografar, fazer compras. Receber amigos, ouvir histórias, jogar video game.
O que você sonhou na noite passada? Não me lembro. Capotei quando cheguei em casa. Ainda estou com jet lag.
Onde você está? No escritório da casa da minha mãe.
Onde você gostaria de estar agora? Em Wroclaw, na Polônia.
Onde você gostaria de estar daqui a seis anos? Em Dubai.
Onde você estava há seis anos? Em São Paulo, ainda na faculdade.
Onde você estava na noite passada? Jantando com mamãe, Alexandre Lucas, Celso Dossi, Dri Spaca e marido.
O que você não é? Organizada.
O que você é? Indecisa.
Objeto do desejo? Uma câmera digital Leica. Uma casa na serra (em construção).
O que vai comprar hoje? Vou dormir!
Qual sua última compra? Comprei esmaltes para as meninas do salão de beleza lá de Dubai, lembrancinhas para minhas flatmates, uma penca de DVDs.
A última coisa que você fez? Deixei a Celena e a Juliana em casa após pandegarmos na casa do Luca, amigo de infância.
O que você está usando? Calça jeans, blusa preta, casaco branco e um sapatênis da Zara de Toronto.
Na TV? Está desligada.
Seu cachorro? Tony, o poodle. Henry, o labradoodle obeso preto. Babu, o vira-latas carente recém adotado. Luca, um poodle que resgatamos e estamos cuidado para doarmos. Alguém gostaria de ter um amiguinho?
Seu computador? Laptop Acer bem furreco. Mas estou usando o desktop da mamma.
Seu humor? Negro.
Com saudades de alguém? Do Sajid, do Harry (meu finado poodle).
Seu carro? Tinha um C3 preto, mas vendi quando me mudei para Dubai. Estou trabalhando na minha habilitação "dubaiana" e logo logo comprarei um Beetle da Volks ou uma Terios.
Perfume que está usando? Tendre Poison, Dior.
Última coisa que comeu? Pizza na casa do Luca.
Fome de quê? Da minha cama.
Preguiça de? Tu-do.
Próxima coisa que pretende comprar? Saga do Santuário - Cavaleiros do Zodíaco. Meu presente de natal...
Seu verão? Meu inverno, já que estou em outro hemisfério... Com mamã em Dubai, tentando fugir pro Sri Lanka por poucos dias.
Ama alguém? Sim, amo várias pessoas.
Quando foi a última vez que deu uma gargalhada? Hoje ao lado de amigos de infância.
Quando chorou pela última vez? Antes de embarcar para São Paulo após uma seqüência de acontecimentos não tão bons...

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Alhamdulillah!!! الحمد لله

Estou arrumando a mala, a papelada, lavando os lençóis, arrumando o banheiro, colocando água nas plantas. Parei para ouvir um trovão. Desacreditei.

Gritei para a Paola e ela disse "é o fidaputa do vizinho arrastando a cadeira". Fui até o quartinho buscar Poliflor e vi um clarão. Achei que fossem as luzes escalafobéticas do Burj Dubai.

Mais um som de trovão. Abri a janela e desacreditei: chuva no deserto!

As portas e janelas estão abertas, o ar que entra é fresco e me lembra São Paulo. Sim, cá estou com minha flatmate assistindo Friends e comendo pizza enquanto o mundo desaba lá fora. É tão bom.

Melhor ainda é ouvir gente gritando nas ruas. Estão felizes. Aposto que essa tempestade veio para lavar um pouco da má sorte que por aqui chegou. E lavou tão bem que minha escala de vôos está tão boa mas tão boa que terei dias livres com a minha mammy aqui em Dubai. E Glasgow. E Pequim.

Nada melhor do que um chazinho fresquinho recém trazido do Ceilão (ok, Sri Lanka) com leite e Supertramp para comemorar o evento:



Obrigada, Allah!! Obrigada Nossa Senhora. Obrigada Iemanjá. Uhu, meu sincretismo gerou frutos.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

tô indo

Amo Pequim. Banguecoque é simplesmente o máximo e me diverti horrores em Colombo. Gosto muito das compras que faço em Glasgow e de todos os Primarks do Reino Unido. Paris continua linda, Nova Iorque permanece bárbara e Toronto continua intocada como minha menina dos olhos. Joanesburgo tem os melhores sabores fora de casa.

Rio é a mais bonita de todas. Mas São Paulo, poxa... É a minha casa.

Estou chegando. Embarco dia 27, nuschkur-Allah.



maa Salama, ya habibi

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

um adendinho ao meu último post

Juro, jurava que era Sri Lanka até uma bicha que não vou dizer o nome (mas é tão obscura que mesmo dizendo o nome vocês não saberiam quem é porque ela é feia e ninguém na noitche) me encher o cacoete dizendo que era Tailândia.

Anyway, pelo pouco que vi confirmo que é Sri Lanka SIM e amei aquele pedacinho de terra. Já vou postar minhas impressões por aqui. Preciso encontrar o cabo da câmera e acabei de acordar, ainda tomando meu Ovomaltine e comendo humus (hm, dieta balanceada).

Anna Paulah, eu adoro música sertaneja. Me leva! Huahuahua.

Fred, me cago de rir contigo! Piro com o uniforme das Sriricas da Sri Lankan. Adoro aquele sari mostrando barrigas flácidas ou esgalambitas. Acho tendência. E finalmente vi uma neusinha com o uniforme novo da nossa empresa. Vou fazer regime já (ok, depois que terminar meu Ovomaltine) porque a boa notícia é que o novo é acinturado, listradinho e achei a bolsa um luxo. Já viu? Já estão usando naquele avião novo...

Anônimo, vou escrever sim. Voltei de Colombo, mas como AMEI devo voltar é logo!

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Save a Prayer

Estou arrumando as malas para voar para Colombo, a capital do Sri Lanka. O povo da empresa chocha, diz que o lugar é feio e pobre e cheio de malária. Penso no que diabos neguinho está fazendo nesse emprego se não consegue abrir ao menos um pouquinho a cabeça.

Sri Lanka sempre foi um dos lugares que mais tive curiosidade e estou TÃO feliz em ter um dia INTEIRO na cidade... E se o hotel não é dos melhores, adoraria relembrar meus coleguinhas que antes eles não pagavam nem um hostel na Europa.

Grata.

E me despeço com Duran Duran, afinal, sei que não é Sri Lanka e tal no clipe... Mas sempre achei que fosse, então tá então, huahuahua.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Repertório pro Angélica Grill

Abro a página inicial do meu Youtube e vejo "versão italiana de Salma ya Salama" da Dalida. Huahuahua, o que eu coloquei no meu chá eu não sei, mas cliquei...



Sorry, mas adoro um clipe caseiro + música com arranjo de churrascaria feito no videoke + cabelão loiro.

Shahrukh Khan em Dubai (e why the hell não verei a Kylie Minogue)



Shahrukh Khan esteve em Dubai no último dia 25 (ok, há quase um mês). A idiotona aqui ficou com a periquita batendo palma e gastou 100 dinheirinhos para ver o garbosão da Índia. Some a isso uma cúmplice (Becca, minha querida amiga brasileira que também se enroscou com um paquistanês), todos os imigrantes indianos e paquistaneses e bangladeshis e sri lankas e nepalis + uma confusão absurda e desorganização imensa.

Não havia fila, mas uma massaroca de gente se afunilando na entrada da arena. Ninguém checou bilhete algum. Como comprei o ingresso mais barato, assisti ao show em uma área mais VIP e bem mais cara. Ok, é lei de Gerson. Mas ninguém ao menos olhou meu ingresso, tampouco houve revista na entrada. Poderia ter entrado com faca, revólver, fuzil, you name it.

Não houve a menor preocupação com a segurança e meu cu que ficaria num aglomerado de gente com cara de terrorista. Eles botam as cartas na mesa e a gente faz o jogo, não é? E a verdade é que eu e a Becca ficamos com o furico tão apertado que cortaríamos um prego.

Mas uma vez passada a massaroca de gente, rumamos ao cocozão da arena do Festival City, tão grande e apropriado como um pátio de escolinha em festa junina.

Ainda aguentamos gracinhas de playboyzinhos indianos (éramos as únicas não-desi e derivados, juro!), todos cheios de gracejo e garbo. Um, inclusive, ficou me torrando a paciência porque tinha ingresso. Pulava ao meu lado e repetia que tinha uma porra de um ingresso. Até que eu disse em português "enfia no cu". Ele não entendeu, mas perdeu o rebolado. E sim, sou grossa bacarai.

O espetáculo começou com umas dancinhas da Anusha Dandekar (quem?), uma VJ da MTV indiana (ah, tá). Sofrível. Muito playback, coreografia ruim, Calypso Vest e cerveja quente (ao menos tinha cerveja).




Eitcha povão!

Sim, ele se acha. Eu também o acho, huhuhuhu.

É tosco mas eu adoro!

O povo não dançava, não cantava, não rebolava. Ninguém estava animado (também, apesar do playback as encenações eram uma merda). Menos eu e a Becca, né. Sei que o Khan não é nenhum Amado Batista, mas...

No meio desse freak show entra uma rapper indo-britânica, a Hard Kaur. Não vou nem descrever a bizarrice. Pare, olhe e escute:

Indiana metida a sista com cabelo de Joelma... Não fode.

Resumindo: programa de cacique total! E quando penso que Kylie se apresentará no mesmo local me dá uma preguicinha...

ebó

Irfan - Karina, puxa meu dedo.

Karina - Aaahn?

*prooom* (barulho de peido)

* * *

Irfan - Que mãos lindas, Karina.

Karina - Ahn, obrigada. Culpa da minha manicure.

Irfan - Isso se chama "french manicure"...

Karina - Você faz esforço pra ser tão pedante ou a coisa é natural?

* * *

Irfan - Quero ir para o Rio de Janeiro.

Karina - Vá.

Irfan - Mas sem você terei que procurar uma garota bem gostosa, a very hot carioca.

Karina - Vá.

Irfan - Olha o ciúmes.

Karina - ???????

Irfan - Eu sei que você está com ciúmes...

Karina - Irfan, na boa, puxa meu dedo.

(ex-namorado é ebó que não mereço na minha semana de TPM)

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Beirute, oi?

Ontem fui até a classe executiva buscar uma fucking refeição vegetariana para um passageiro e ouço isso de um passageiro rico da business:

- Libaneeeeeeeeeeeeesaaaa!

Huahuahua. Pode?

Gelei. Pensei, será que já estou tão famosinha assim? Mas não, era um passageiro líbano-brasileiro que olhou pra mim e arriscou minha nacionalidade. Pior: em PORTUGUÊS.

Huahuahuahua, adooooro! Perguntei pra Cristina, a Tailandesa que estava na área desse passageiro e ela disse que ele ficava adivinhando a nacionalidade das crew. Ela não gostou muito quando ele disse que ela era filipina ou mexicana, mas a minha ele acertou na mosca.

- Você brasileira da Líbano.

Huahuahuahua, adoro! Pois é, galera, quem é da minha raça que me compre, sou "batrícia". Pelo menos alguém, em oito meses, não disse que sou "búlgara".

No mais, o vôo foi cheio. Cheio de passageiros, cheio de malas, cheio de pedidos absurdos durante o serviço e, pra colocar a cereja no topo do meu sundae, meu chefe fez o favor de embarcar nesse vôo e eu quase caguei nas calças de nervoso.

Afinal, a rapadura é mole mas não é doce.

(ok, esse foi o pior post EVARRRR do meu blog, ao pior estilo diarinho)

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

preciso de férias, parte I

Vou pra Beirute e já volto. Alguém me leva pra São Paulo?

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Radiohead no Brasil?

Ainda bem que estou em Dubai!

Não me chochem, mas acho isso tãããão depressivo que até um É o Tchan eu prefiro para não ter vontade de pular do décimo primeiro andar onde vivo.

Se acha que estou exagerando, assista "Paranoid Android" num domingo a noite após ouvir a musiquinha do Fantástico.



Meu Deus! Além de ser o pior clipe de animação ever (puta tosco, vamcombiná), essa música... Gente... Mandem suas doações de Fluoxetina pra beezinha vocalista deprê.

mwah

domingo, 9 de novembro de 2008

rock the Casbah

Ia dar climão se saísse cantando alto em Teerã. Huahuahua.

Fui premiada com um vôo desses essa noite. Jesus, me metralha, vai.

verdade

Allan Sieber é foda.

sábado, 8 de novembro de 2008

Boa Kylie procês

Nhenhenhé, ela vem pra Dubai anyway. Mas não vou. Ando meio sem saco da vida. Se estivesse em Sampa com minha patota, iria.

Have fun. Se tocar essa aí, lembrem-se de mim e façam uma fezinha pra Allah.

cores de Karina


Alguém viu as fotos da casa da Karina Bacchi na Casa e Jardim? Babei. Karina que é Karina adora uma cor. Essa Karina que vos escreve está ovulando e louca para passar no ACE e me jogar em latas de tinta.

que saco, Obama!

Tá. Que legal que Obama ganhou. Sério mesmo?

Tô cansada de ver a galera no Orkut com pieguice no avatar dizendo "This is our moment" com foto do presidente ao fundo.

Ok, eu confesso que prefiro Obamão ao homem com nome de marca de batata frita congelada. Mãããs, chega de pieguice, porra! É um presidente democrata, não é Jesus Cristo.

Quero ver só quando chegarem as medidas protecionistas e a invasão no Paquistão. Aí, gatos, beijosnãomeliga.

Neeext!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

comeu cocô, indiana?



Vi isso aqui no Indi(a)gestão e fiquei bege. Leiam a postagem aqui e me digam o que acham.

O que eu acho:




1. A editora da revista, a indiana Priya Tanna, deve ter comido cocô e bebido água do chuveiro para achar que essa "brincadeira" seria de bom gosto;

2. Achei humilhante. Sou politicamente incorreta, mas tudo tem limite. Acho que só se chocha beecha pão com ovo com pobreza não se brinca. Tipos, Joselito sem noção total. Babador Fendi numa criança famélica...

3. Pra ser editora da Vogue indiana essa tia tá bem derrubadinha. Que blusinha é essa de tarde no Clube Regatas de São Vicente + bingo? Que escritório é esse? Meu cafofo em Dubai é bem mais estiloso.

4. Eu também tenho braço gordinho. E não uso blusa sem manga nem fodendo. Então, oi?

tô com fadiga, depois eu volto

Muita coisa pra postar, pouca estamina. Muito cansaço, pouca vitamina. Joanesburgo para uma leitora, show do Shahrukh Khan pras calega entendida. Prometo que posto. Mas hoje, não. Nem amanhã. Depoisssss...

Gente, eu juro que eu volto logo. Mas estou voando no limite da legalidade, cansada bacarai.

Minha vida em uma música?



conhecer o mundo inteiro sem pagar nenhum tostão, ok!

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

lá vou eu pra Joanesburgo

Todo mês me mandam 2 ou 3 vezes para Joanesburgo. O chato é que deixo de conhecer mais uma do trocentos destinos para onde voamos. O bacana é que eu amo a África do Sul:

1. O povo é muito bacana, simpático e divertido bacarai. Sinto como se estivesse no Brasil;
2. A comida é tão boa como em São Paulo. A maioria dos supermercados tem seções ma-ra-vi-lho-sas de padaria, queijos, frutas e legumes;
3. A carne é de comer ajoelhada;
4. O álcool é baratíssimo. Você não vai pagar mais do que 15 reais em uma garrafa de Amarula;
5. A variedade de álcool é incrível. Tem vários tipos de licorezinhos com sabor de baunilha, toffee, amarula etc;
6. A polenta sul-africana, a pap, é um dos meus acompanhamentos favoritos;
7. Dá pra fazer safari! No Lion Park você pode pegar leão bebezinho no colo.
8. Tem Miriam Makeba everywhere. Adoro "tá com pulga na cueca":

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

eboing eboing

Achei no Celso Dossi.

beijosmeliga no Líbano

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Porquera e Sabedoria (ahn?)



Vejam que coisa mais feia esses sapatinhos de Madonna na estréia de seu filme "Filth & Wisdom", o primeiro longa dirigido pela digníssima. A criação é de Lagerfeld. Se o filme seguir o compasso do pisante, meu Deus, creio que estará mais para "filth" do que "wisdom".

Que porrrrquera.

historinhas de Dubai



O Gui enviou o link de uma historinha que está dando o que falar já tem uns bons meses: um casal de britânicos tomou um pilequinho e decidiu fofar na praia. Brilhante, né?

Aí virou um bafafá com inglesinhos and all the islands gang sobre o conservador modo de vida nos Emirados. Hello-o?

Tipo... a gringaida chega, ganha rios de dinheiro, carro bacana e vila na praia mas não aceita que certas putarias simplesmente não rolam? Que aqui é um país islâmico? Quer liberdade, volta pra casa, uai. Mas não terá Porsche Cayenne nem apê da hora com vista ao mar.

Enfim... Sei que conservadorismo irrita. Eu mesma já levei pito da polícia porque saí para andar às 3 da manhã e um gambé me parou. Ok. Nada de grave, afinal, estava fazendo o trabalho dele.

Outra vez também fui abordada com um amigo jordaniano porque estávamos fumando na praia no mesmo horário. Como ele viu que éramos só amigos, nos deixou em paz.

E sim, a vida aqui é tão chata que, após uma baladinha com os amigos o único after disponível é fumar e tomar chá na praia. Superlegalzão, né? Preciso urgente de um carro para não depender do conceito de diversão dos meus amigos árabes.

* * * * *

Outra história que ronda a cidade é que o tal Burj al Arab estaria afundando. Aí o Sheikh dono do hotel acabou dando o 7 estrelas para seu primo, o Sheikh não me lembro o nome. Huahua, presentão.

Não entendo picas de engenharia (algum leitor engenheiro?), mas lembro dos predinhos tortos de Santos. Vale lembrar que o Burj foi construído em uma ilhota artificial sobre areia.

Quer afundar, afunda. Mas não antes da minha mãe chegar, tá! Vou levar a turca pro high tea chiquetoso.

Mais um bafo seria uma tal de cruz na estrutura do do hotel. Olha, não vejo cruz nenhuma (teclando e bisoiando o Burj pela janela, que agora está iluminado com laranja, que nem o Ibis da Marginal Tietê). Aí que tem uma penca de árabes passando mal de tanta peitica pela influência cristã no país muçulmano. Kkkkk. micaguei.

Leia mais aqui.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

to go or not to go?

Eu meio que tenho vergonha, mas custa 50 reais. Se Tony Goes e/ou marido aqui comigo estivessem, iria. Mas não tenho nenhum amigo aqui que curta Bollywood. :(

Vou sozinha?



Cut to me: eu no meio da indianada. Eau de Cecilia descontrol.

Mas eu quero.

feliz dia dos professores :)

Ana Maria says:
a maria veio me beijar pq hj é dia dos professores!
bubu says:
hahahaha q fofa
bubu says:
eh mesmo, feliz dia dos professores
Ana Maria says:
tks
Ana Maria says:
hj, para comemorar, eu mato um aluno
Ana Maria says:
kkkkkkkkkk

É isso aí. Feliz dia dos professores. Pra minha mãe, pro maridón e pro Carlos.

Mwah!

Prêmio Dardos

Weehee! Acabei de ganhar um Prêmio Dardos. Achei que nunca receberia... Porque esse prêmio reconhece "os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais etc" e, mei que sou boca suja e politicamente incorreta demais para transmitir algum valor ético. Huahuahua.

Mas, ok, se vocês dizem... Beijosteamo e super feliz fiquei. Adoro um selinho, um reconhecimentozinho, um elogio. Acabo me derretendo toooda. Muito obrigada, mocinho bom com comportamento ruim. :)



Então funciona assim:

Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais etc. e que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras.

Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Quem recebe o 'Prêmio Dardos' e o aceita deve seguir algumas regras:

1. exibir a imagem;
2. linkar o blog pelo qual recebeu o prêmio;
3. escolher os amigos de outros blogs que mereçam ser premiados pelo Prêmio Dardos.

Antes de qualquer coisa, aviso que não vou postar links para blogs da nossa patota. Afinal, preciso escolher 5 e daria briga. Somos todos ciumentos e mais de cinco. Logo, vou escolher outros blogs. :)

Começando:

1. Hello Lolla - Carioca que vive em Jersey, uma ilha entre Inglaterra e Normandia. Gosto muito do que ela escreve, nossas opiniões coincidem bastante. Estamos em países (beeem) diferentes, mas algumas situações são universais para expats brasileiros. Sem falar que ela tem a língua bifurcada e eu adoro. Because I'm a B word. E tudo o que ela faz fica liiiindo: casa, bonecas, reforma de móveis. Quero ser como ela quando crescer.

2. Eat 'N Tell - Adoro o conceito desse blog. O Clayton come e faz resenha. Sei que a web está lotaaaada de blogs que resenham restaurantes e pá. Mas a diferença é que (número um) ele escreve muito bem, (número dois) tem um senso de humor ímpar, (número três) não precisa escrever sobre a casa de carnes em Punta ou Buenos para chamar a atenção... o que interessa, aqui, é que ele dá palpite sobre comidinhas que todos nós (menos eu aqui em Dubai, hehe) temos acesso fácil, logo, temos repertório para opinar e discutir. Simples assim e perfeito assim. Provem a rabanada salgada, garanto que é jóia.

3. Celso Dossi - Ok, eu jurei que não ia citar nenhum blog da patota. Mas como Celso é meio tardio, só abriu esse blog bem depois. Como chegou meio retardatário, recomendo! Porque chegamos a conclusão que fomos separados no nascimento: somos trash demais, ansiosos demais e adoramos a Joelma demais.

4. Três Amiguinhos - Transformamos em blog. Eu, Deco e mamãe. Nosso antigo Fotolog que promovia adoção de animais abandonados virou blog e pretendemos aumentar o número de doações. Como somos três dummies de internet, aceitamos ajudas de qualquer forma: com layout, que alguém nos ensine a postar fotos sem cagar o texto etc. :) Divulgação em vossos blogs, tudo será bem vindo.

5. Good Boy, Bad Behavious - E descobri mais um blog bacana através de um leitor que sempre lê e nunca comenta. Poxa, se tivesse comentado, teria descoberto esse blog antes. :) Vai entrar na lista dos meus preferidos.

Obrigada, mais uma vez, pela indicação.

beijos

Doha - Dubai - São Paulo

Juro que fiz isso tudo em uma noite. Explico... Lá fui eu voar para Doha. Foram 40 minutos na ida + 50 na volta, 20 minutos em terra (Lu Farah, mandei um beijo pra você lá do aeroporto).

Como estou com esse início de gripe, caí dura na cama quando voltei de Dubai. Deu tempo de tirar apenas a roupa e colocar o pijama, mas dormi de coque e make up.

Lá pelas tantas já estava em São Paulo, no Mercado Municipal. Estava comprando carne moída paquistanesa (!!!) para fazer keema pro marido e vi o Paulo Maluf fazendo discurso com um abacaxi na mão.

Eis que um sujismundo lhe dá uns 4 tiros e sai correndo na multidão. Vou atrás do cabradapeste e dou uma voadora (meus delírios kung fu, tá), imobilizo o maldito e o encho de azeitonas, bródi. Pá, pá, pá. Vinguei o libanês, sorry pelo momentinho Hezbollah (ok, odeio o Hezbollah, mas era para dar um toque dramático).

Acordei com o telefone tocando. Só lembro que descarreguei o resto das balas da semi-automática em uma melancia. Huahuahua.

Sabe, sonhar com o Paulo Maluf me deixou ainda mais homesick. Adoro eleições, absurdos, candidatos toscos, as promessas do tio. :(

Mata Atlântica-sick

É aquela eterna história... A gente passa a dar mais valor para alguma coisa quando a perdemos. Estou sentindo na pele o que é estar homesick. Todo mundo chocha São Paulo, mas juro que Higienópolis tem mais árvores do que Dubai inteira.

E as praias daqui tem uma água verde turquesa linda. Cheia de coliformes do Burj (aqui, literalmente, os ricos cagam ni nóis), cólera (that's so third world), febre tifóide e hepatites de todas as letras.

Super perdi a vontade de comprar uma pranchinha de body board e praticar algo outdoor. Até porque não temos ondas. A única praia com ondas está na divisa entre Dubai e Sharjah, onde eu super iria com meu carritcho novo... Mas está cheio de gente wahabbiya nada pra frentex, paquistaneses que entram no marzão de sharwal kamiz (aquele pijamão) e outros que não direi a nacionalidade para não parecer tendenciosa que volta e meia fazem necessidades aqui ou ali.

Sem falar que alguns turcos, libaneses, indianos, curdos, iranianos, you name it, adoram tirar foto da mulherada de maiô ou biquini. Não é a toa que as brazucas vão a praia de roupa.

Eu não. Afinal, não vou a praia aqui. O sol é muito forte, não tem barraquinha de refresco, troque o populacho farofeiro por libaneses em calção de banho fosforescente (ou fluorescente?) tocando black music (odeio, odeeeeio aquelas canções que pedem para que a mocinha vá ao candyshop chupar um lollypop, eu absolutamente odeio esses rappers, Missy Elliot e a turma toda) ou pop libanês (tudo soa igual, seja Amr Diab ou Najwa Karam, é tudo "te quero habibi, te amo" e a batida é insuportavelmente igual). Não que o axé brasileiro and all that shit sejam musicalmente melhores ou tenham letras, er, hm, um pouco mais ortodoxas. O fato é que se é pra aguentar lixo, prefiro os nossos.

Vale lembrar que a praia, aqui, pode ser descrita como muita areia, um mar sem muitas ondas, um sol infernal que machuca seus olhos mesmo que você esteja rica com seu Prada equilibrado no nariz. Não tem milho verde, não tem raspadinha, não tem nada. Cervejinha gelada e camarãozinho na grelha, nem pensar. Só tem um bunker de um paquistanês cheio de salgadinho, sorvete e Pepsi. :(

E, porra, não tem a melhor combinação ever: mata atlântica ao fundo + nossas praias. Quando estive na Indonésia, notei que as praias do país eram maravilhosas porque tinham uma combinação semelhante. Sri Lanka idem.

Logo, estou aqui ba-ban-d0 nesse novo projeto que reúne 40 trilhas ecoturísticas no estado de São Paulo: muito verde, muita praia. Adoro. Lógico que nem cogito, afinal, acampamento, pra mim, só no quarto do Hyatt.

Detesto trilhas simplesmente porque estão cheias de lama. Prefiro pegar o carritcho e dirigir na Rio-Santos, hospedada lá com o John e usando vestidinho sempre. Bermuda e camiseta, mein Arsch!

terça-feira, 14 de outubro de 2008

quero assinar!

Quando no Brasil vivia, meu pacová era diariamente enchido com ligações da Editora Abril e Globo para que eu assinasse revista X ou Y.

Pois bem. Aqui nos Emirados só tenho lido National Geographic, Economist, Time e revista de fofocas (essas bem mais, hehe). Não gosto de nenhuma revista de decoração daqui... É tudo cafona, exagerado, new-traditional ou minimalista ou country. Quissaco.

Entrei toda feliz com cartão de crédito em mão para assinar a Casa e Jardim. Não dá. Não entregam no exterior. Jornal, nem pensar! :(

Porra, nem o Chico Bento?

Dubai Homes é um lixo. Tudo casa de expat que ficou rico por aqui. Nouveau riche demais, tipos delírios de Frank Aguiar. Quem dera, afinal, é sabido que Dubai is the new Miami. Mas como não tem Brasil logo ao sul, temos um subcontinente todinho ali ao nordeste.

Help!

Se tiver umas Casa e Jardim velhas, poxa, aceito doações. Pode ser uma só. Existe tarifa econômica do correio pra isso... Já que vocês não me ligam UM minuto, tampouco mandam cartinha ou e-mail... Só ganho um "eaê conta da vida aê em Dubai" genérico no Orkut.

Mesmo! :(

E eu ainda levo presente...

P.S.: Lolla, desculpe-me pelo plágio do desabafo. Hehehehe.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

pequeno diabo

Estava lendo o lindo e delicioso blog da Lolla (com quem compartilhos fortíssimas opiniões sobre diversos assuntos, quero ser como ela quando crescer) e me deparei com essa notícia.

Bah!

Como a própria blogueira disse, "aposto em falta de disciplina, em pais bananas e psicologia moderna. Ou simplesmente num acesso de crueldade injustificado de um pequeno Hitler em estágio de pré-produção".

Estou bege em tomar conhecimento que um diabinho de merda desses sentiu prazer ao matar e assistir animais vivos serem devorados em um zoológico.

Falta de surra dá nisso. Enfiaria esse moleque num moedor de carnes.

domingo, 12 de outubro de 2008

Karachi


Tô indo pra lá. Lugar super prafrentex. Quero morar lá. Huahuahua.


terça-feira, 7 de outubro de 2008

Bollywood Legends

Estava eu e minha amiga Paola no Spinney's (supermercado que super adoro chei di coisas importadas) quando, na seção de brinquedos, nos deparamos com isso:





Um bonequinho tipo Ken da Barbie do Hrithik Roshan. Por 19 Dirhams (cerca de 8 reais) compramos um bonequinho do Hrithik Fucking Roshan. Huahuahua! Ovulamos!



E no que tiro a caixa da prateleira, encontro sabe quem? Um bonequinho do SHAHRUKH KHAN. Ovulei reloaded! Tipos... WAAAAAA!!!



WAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!



Agora minhas Barbies terão namorado do subcontinente que nem a mamãe. Muito hype.



Quer? Compra!



P.S.: Preciso encontrar, agora, a bonequinha da Kajol e da Priyanka Chopra. E não, não achei a Aishwarya Rai. Ainda. Tampouco a minha xará gostosona, Kareena Kapoor.



P.S.2: Celena, não comprei um pra você porque comprei o último. Porém, achei algo ainda mais pândego. Dica: álbum da copa. Huahuahua! Feliz aniversário, chuchuzona. Te amo!

Obrigada!

Obrigada pelo carinho de todos vocês. :) Sei que o Harry está no céu me esperando. E foda-se o que dizem os que os bichinhos são almas não-evoluídas. Meu koo com zatar, beijosmeliga.

Wewé está me esperando.

beijos
Karina

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Harry


Foram 16 anos de amor recíproco. Você parte sabendo que me fez muito feliz nestes anos todos. Eu aqui fico, sabendo que fui a mãezinha mais completa que vc poderia ter. Vou ficar com muita saudade de você. Por muitos anos chorarei a sua falta, o seu dengo comigo, a sua cantoria na hora do 'parabéns a você', o aviso geral aos colegas do prédio de que você tomou banho, seu andar de lorde, seus olhos verdes, seu aconchego no meu colo. Amigo, filho, paixão da minha vida, como você vai me fazer falta. Por favor, São Francisco, cure o meu bichinho e dê a ele aí no céu uma nuvenzinha para ele ficar me esperando, como sempre ficou durante sua vida aqui na terra.





Poderia escrever mil coisas sobre meu bebezinho, mas não sei se consigo me expressar tão bem como a minha mãe. Afinal, foram 16 anos e tenho 26. Praticamente uma vida toda. Obrigada, Maria e Deco, pelo carinho e paciência com nosso cucciolino. Não tenho palavras para agradecer.



Sabia que ele estava doentinho (com um câncer no rostinho que se alastrou). Eu sabia que logo logo ele dormiria. Sabia que seria melhor que ele descansasse. Mas quando o momento chega, a dor é terrível.



Pois eu o conheci ainda bebezinho quando nasceu embaixo da cama da minha mãe, filho da nossa cadelinha Tati, que agora está no céu cuidando dele e, quem sabe, dos outros quatro irmãozinhos do Harry.


Hoje, dia 2 de outubro, perdi meu irmãozinho de vida. Então meu mundo ficou mais cinza.



Si perdiera el arco íris su belleja

Y las flores su perfume y su color

No sería tan inmensa mi tristeza

Como aquella de quedarme sin tu amor

Mensagem para um leitor

Caro Yahudi-Libnani, faz favor de deixar e-mail que preciso entrar em contato contigo. :)

domingo, 28 de setembro de 2008

:(

Tive um mini incêndio aqui em minha cozinha. Estava fritando quibe (hehe) e, de repente, a panela começou a pegar fogo. o_O Alguém me explica isso, please.

Acho que a bucetuda da panela que comprei no IKEA era realmente barata demais. Resultado: o fogão não liga. Lá vou eu ligar para a manutenção e me enfiar em mais uma guerra de facão, já que é necessário brigar para conseguir qualquer coisa em Dubai.

Assustador foi presenciar uma labareda a poucos centímetros de meu rosto e minhas mãos. Optei pelo cobertor de segurança que temos aqui para acabar com o fogo por abafamento e fiquei de stand by com o Hallon. Coisas que aprendemos quando aeromoçamos.

:(

Que merda.

Vou ter que ligar no libanês para pedir a janta (ou almoço às 23h30, já que acordei às 18h30 após retornar de Paris). Só porque comprei tudo para preparar pullao rice e dhal, amanhã.

E como sou gorda e não desisto nunca, fui checar se os quibes, pelo menos, estavam prontos dentro da frigideira tostada. Estão sim. E estão deliciosos.

zente

O prefeito de uma capital indiana voou comigo e era um gato! O pior flertada do mundo é descobrir que a pessoa é VIP, huahuahua. Me sinto tipo "não vou porque não tenho roupa".

E na volta tinha um indiano que era o Lawrence Llewelyn-Bowen masala. Xônei.

Sei que vocês devem estar lendo esse post assim: o_O...

Mas, como diria Lynette, minha favorita dona-de-casa desesperada: quando você está casada, flertar é sua única opção. Que mal faz eu não sei. Só sei que faz um beeem pro ego. Para a pessoa flertante e para flertada. E nada más, nothing beyond, nunca trouxe um cartão ou bilhete para casa, ficam todos no lixo. Khallás, khallás.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Pequim para Índio Chiquinha

Estive em Pequim durante as Olimpíadas e fiquei doente paporra, como ja aqui postei. O que ainda não havia postado, ainda, foi meu programaço de cacique na famooosa Lao She Teahouse. Explico: dizem os guias de viagem que essa casa de chás é o must see de Pequim para quem gosta de ópera chinesa, acrobacias, chá, dança e tudo isso que a gente vê nesses filmes de chinês voador (Clã das Adagas Voadoras, The Curse of the Golden Tulip etc). Não preciso nem dizem que saí tinindo de alegria do hotel com meu bilhete na primeira fileira para ver tudo o que a turca gosta.


Photobucket


Cheguei toda serelepe no estabelecimento e fui recebida por um homem vestido de Chou 丑 (o personagem que dá o tom cômico para a ópera chinesa). Nem preciso dizer que fugi da criatura. Tipos, odeio interação espetáculo-público.

Lembro de uma vez, no início dos anos 80, vovô (que trabalhava no gabinete do prefeito e era miguxo do Jânio) conseguiu um ingresso mega VIP para o Circo de Moscou. Na época esse circo era tipo a área VIP da The Week da criançada. Só as bunitahns. Depois de tanto sangue e suor e lágrimas, estávamos na primeira fila e um palhaço quis interagir comigo. Fiz aqueeeele escândalo, aquela choradeira que só a turca sabe fazer. Foi uma comoção, super climão e tive que ser offloaded do espetáculo. Huahuahua. Odeio palhaços, porra. E mágicos. E chimpanzés que andam de bicicleta no picadeiro. Odeio chimpanzés, period.
Voltando ao assunto...

Photobucket
Desculpem-me pela foto tremida. Tenho muita preguiça de carregar o tripé da minha câmera worldwide. Mas essas neusas estavam tocando chá. Explico. Vejam a neusa da esquerda. Ela estava usando potinhos de chá para produzir sons. Nem ficou tosco, ao contrário, o som era muito bonito. Chinês sabe fazer as coisas. Ninguém diz que a sua Luis Vuitton é de Shanghai, né. Fo-da.

Photobucket
No primeiro andar do estabelecimento há uma exposição de bonecos (e uma lojinha, lógico). Achei bem pândego, adorei, queria levar todos. Mas os preços eram bem proibitivos (tipo 10 mil dólares, a chinesada viajou gostoso na primeira classe da Maionese Airlines). Mas hiperventilei quando vi isso aqui:


Photobucket
Não sei explicar. Acho que na vida passada fui uma neusa porque pago um pau-Brasil pra cultura desse povo (até espetinho de escorpião eu como!). E hiperventilei quando vi esse boneco. Porque sou tarada por ópera chinesa, especialmente pela imagem das Dan 旦, especialmente pelas wudan (personagens femininos que lutam bacarai). Mas never que iria desembolsar 18 mil dólares nesse boneco. Com esse dinheiro compro um carro e ainda me sobra troco pra comprar um refresco.
Então subi para o primeiro andar da casa de espetáculos...

Photobucket
Uhu, primeira fileira. Mal sentei e já me trouxeram as guloseimas:


Photobucket
Um potinho de chá de jasmim sem açúcar. Meio foda tomar chá de jasmim sem açúcar nenhum. Sou muito inguinoranti e gosto mesmo é de chá preto com leite e muito açúcar (pakistani me). Ou chazinho de camomila com muito açúcar. Ou chá de limão com mel. Enfim, adoro chás desde que sejam melados e nada amargos.
Aquelas frutinhas vermelhas eu não sabia o que era. Eram azedinhas de uma forma não muito, er, confortável. Espero que fossem frutinhas. Mas em se tratando de China, vá saber (e não lim de lato aglidoce ou essas esquisitices do Wangfujing Market). Os pistaches eram pistaches, uai. O doce que parece sushi era feito de feijão, os outros também. Mas com a fome que eu estava, adorei. E o doce dentro do pacotinho era alguma cereja (ou parente das berries) coberto com uma calda açúcar bem dura que desisti de quebrar pelo amor aos meus dentes.


Photobucket
foto do recinto ainda vazio...
E eu que toda feliz estava porque assistiria ao espetáculo na primeira fila, muito puta fiquei quando meus companheiros de mesa chegaram. Praticamente a família triceratops. Bloqueavam minha visão lateral. Grrr. E um dos chineses nem pra esperar o lanche chegar e tascou a mão nos meus pistaches. Vá se foder esse comunismo. Sou capitalista, de direita, libanesa e arretada. Não gostei nada dessa demonstração socialista. Não nos meus pistaches. Mão chinesa no pistache dos outros é refresco.


Photobucket
O espetáculo começou com a casa cheia. O primeiro número: cantoras chinesas que cantam e tocam com velas na boca. WTF? Conheci um tiozinho que tocava tambor com o pé, sanfona com as mãos e gaita lá na Praça da República. Era a cara do Alceu Valença.


Photobucket
Aí chegam as chinesas de borracha e começam a se contorcer e equilibrar coisas na testa, boca, enfim, onde der. Então parei de tirar fotos porque um chinês chegou no meu cangote e disse: NO PICTULOS. Tá bom, então.

A noite seguiu com um número de mágicas daquelas bem mixurucas de buffet infantil: enrolar uma argola na outra, colocar fogo na panela, fechar, abrir novamente e jogar papel picado na galera, a carta que some atrás dos dedos e zzzzz... Então o mágico pede a participação do público (e eu quase me escondendo sob a mesa, mas nem precisei, afinal, a família triceratops me deixava invisível) e, lógico, quem sobe é o turista americano gordinho que precisa de atenção. Queria sair correndo do lugar, mas tinha me custado uma grana boa e estava esperando pela ópera.

O ballet chinês era bem bonito. Foi um dos poucos números que gostei (na verdade só gostei desse e da micro-ópera). Quem não se lembra de Zhang Yiyi em Clã das Adagas Voadoras?



Chupinhei a tradução do blog da Sarah:
Uma beleza rara do norte
Ela é dama mais bela da Terra
Um olhar seu, a cidade treme
Um segundo olhar, deixa a nação em ruínas
Nunca houve em cidade ou nação
Uma beleza tão venerada
Ainda tive que aguentar um chinês que equilibrava uns cachepots enormes na testa...

Enfim, a ópera... Não durou 15 minutos e fiquei com sensação de quero-mais. Uma microinterpretação do "Bracelete de Jade" (onde a mocinha finge perder seu bracelete como pretexto para conseguir a atenção e o amor de um jovem comerciante) muito graciosa e divertida. Mas o ator que interpretava o mocinho era meio, hm, pós balzaco demais para convencer ser tão mocinho assim. Nada contra, mas ele estava tão caído que, com toda aquela maquiagem, parecia mais a Fofão (aquela drag cheia de silicone industrial que ronda a Rua Augusta e me faz cagar de medo).

Os números eram entrecortados pelo espetáculo do chá. Que era uma belasmerda duma chinesa enfiando uma flor de plástico (plástico, fucking plástico, 380 Yuen no bilhete pra ver for de plástico) num vaso, trocando água de copos com os dedinhos mindinhos levantados. Esperava algo um pouco mais elaborado, delicado, gracioso... Nem tão plastificado.

Conclusão: achei bem clichê. Mas se você gosta daqueles espetáculos de cruzeiro do Splendour of teh Seas, é bem capaz que se divirta um bocado. Sorry, mas sou muito blasé para espetáculos, circos, mágicos, Cirque du Soleil, essas coisas. A ópera chinesa que assisti em minha primeira viagem a Beijing era muito mais agradável, despretenciosa e me surpreendeu com uma cena de luta maravilhosa com acrobatas, espadas, figurinos esvoaçantes, mandarim cantado em agudos e tudo isso que a turca gosta.

Para quem quiser "se divertir a valer":
Lao She Teahouse
3 Qianmenxi Dajie
Beijing, 11 100051 China
+84 10 6303 6830
(fica perto da Qian An Men)

Eu adoro o terceiro o mundo!

Porque somos pobres, mas somos limpinhos. Porque somos do terceiro mundo mas nos divertimos horrores! :)


Juliet (Quênia), Maria (Paraguai), José (Brasil), Hetzel (Venezuela), libanesa (dã) e Siom (Etiópia).

Meu cu é despojado.

Deu no UOL Moda (onde mais?) que a Praça Benedito Calixto é para "despojados". Ok, isso eu já sabia. Todos os maconheiros e fãs das músicas dos festivais da minha sala na faculdade a-do-ra-vam as roupas de brechó desse lugar.

Particularmente acho a Benedito Calixto um erro. A famosa feira de antiguidades é, na verdade, uma coleção de velharias que ninguém mais quer. Feirinha de antiguidades mesmo era aquela do Iguatemi (não sei se continua boa, mas antigamente era chuchu beleza) ou os leilões que minha avó peruona, a saudosa dona Diva Giannini, frequentava.

E o povo é um cruz-em-credo com dor de barriga que me dá uma preguiça... Modernete de brechó. Aquelas meninas que vestem bermuda em cima de meia calça com camisa e boina e, no final, parece menino... Na minha casa isso se chama cafona, mas na Praça Benedito Calixto, isso é ser "despojado".

Achei a matéria tão infeliz que chegaram a fotografar uma bolsa Adidas de um estudante. Olha, até o porteiro do meu prédio aqui em Dubai tem uma bolsa Adidas. Ok que ele comprou no Karama (a nossa 25), mas o estilo é o mesmo e o Mahesh é um indiano cheio de garbo (huahuahua eu adoro, o único problema é o bigodinho de porteiro... mas como ele é porteiro...).

Se tem coisa que eu não suporto é roupa de brechó. Tipos nojinho de usar second hand clothes. Tipo... Sabe lá quem vestiu isso antes. Se tinha psoríase, coceira, micose, biru biru ou xanha.

Confesso que adoro usar terninho com calça jeans e sapatênis. Mas meu tênis não é conga (nem digo o que é para não ser sequestrada, huahua), meu terno não é de brechó. E o lenço no pescoço eu não achei numa banquinha da Teodoro (compro na Harvey Nichols, chora periferia).

O mais hype da galera é dizer que garimpou tal peça em uma "feirinha dessas na França". Ok. Eu não chocho esse lado esnobe porque sou o mesmíssimo porre, olha só meu Valentino que comprei em Roma. Mas fico impressionada como o povo vai pra gringa e traz coisa feia. Coisas iguaizinhas àquelas que você vê em feirinha hippie do Embu.

Mas o que mais me chamou a atenção foi ver que tem gente que ainda usa sandalinha Melissa com meia. Oh my God. That's so 1999!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

TPM

Tem dias que a TPM bate...



(I'm a dogs person anyway)

sábado, 20 de setembro de 2008

Suji Halva


E no oitavo dia criou a Suji Halva. Um doce indiano de semolina que comi ajoelhada rezando pra Allah, Yemanjá, Khrishna, Quetzalcoatl, Tutatis, you name it. Fiodaputa do marido me apresentou essa belezoca na primeira vez em que estive no Paquistão.


Pra quê?


Doce de semolina (cresci com vó italiana casada com libanês, logo, ela mandava ver no doce de semolina árabe) + nuts = meu Deusu!!! Muito bom!!!


Comprei um genérico no Carrefour: você tira o envelope da caixinha, joga na água fervente por 5 minutos e pá, tá pronto. Quando abri o pacotinho quase desmaiei de nojinho com aquela massaroca sólida bezuntada de ghee (manteiga clarificada) que saiu em um pedaço só. Mas comecei a esfarelar com o garfo e o cheirinho de semolina quentinha tomou conta do ar.


E na primeira garfada, péééim, lá estava eu no paraíso.


Fica quase igual ao que você compra na biboquinha do Jans lá em Peshawar. Eu digo quase porque a biboca do Jans é uma experiência adocicada sem-igual.


Pra quem quiser experimentar... Apele aos amigos que vivem na Índia, Emirados Árabes (10 reá e eu levo), Inglaterra, Estados Unidos ou qualquer lugar chei daquela gente do subcontinente.


Para comer assistindo ao clipe de "Tere Liye", tema do "Veer and Zara" (me caguei de chorar nesse filme).


Avaliação: 5 quibes (Mashallah!)
P.S.: Mais um post inspirado no blog do Clayton.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Disco, Ibiza

Porque hoje é sexta-feira!



Huh!

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

eleições


Uma das coisas que mais me fazem falta aqui em Duh-bai é a TV aberta do Brasil. Estou perdendo propagandas políticas e isso me deixa com a bexiga. Adoro candidatos toscos, Levy Fidelix, Paulo Maluf, o democrata cristão e todos esses clássicos Disney da disputa eleitoral paulistana. Vou transferir meu título djá para poder votar na próxima. E só votar em presidente é muito chato. Pfff. Especialmente após ouvir o jingle da campanha do Sérgio Mallandro: http://www.sergiomallandro14800.can.br/ - vale a pena acessar. Ou não.

Eu tenho Blip!

Pronto, eu fiz. Quem tem? Me add:

http://blip.fm/libanesa

Achei música até do marido. E, lógico, já enchi de bosta. Huahuahua.

P.S.: Aliás, estou de luto. Richard Wright morreu no último dia 15 e não vi a notícia em nenhum lugar. Sim, estou falando do Richard Wright do Pink Floyd. :( Aposto que o Xanddy morresse, a notícia estaria em todos os sites de notícia. Ta certo que o Rick fez um álbum chato bacarai chamado "Broken China" que, quando comprei, quis jogar contra a parede. Mas, poxa. :(

elegante

O Deco me mandou essa música por e-mail. Achei phynno. Coisa que ele e minha mãe descobriram na Santa Ifigênia. Tá, vocês já devem estar carecas de ouvir. Infelizmente aqui na 25 de março local (o Karama) não tem disso. Não tem baiano, só indiano.

Mas achei esse videoclipe particularmente elegante. Parece com as coisas que eu faço no Paint. A Pixar morreria de inveja.

sábado, 13 de setembro de 2008

nine eleven

Mais um aniversário do onze de setembro se passou e o Dean Moriarty me enviou essa dica por comment (fonte: surra.org):


clique para ampliar porque nao sei fazer com que a imagem apareça gigantona aqui no post, duh!

Só comento uma coisa: tinha que ser a Pakistan Airlines. Huahuahuahuahua!
P.S.: estava voando Manchester > Dubai no 11 de setembro desse ano. Morrendo de medo de encontrar um Mohammed Atta na lista. Porque uma vez eu encontrei, huahuahua. Micaguei.
Pelo menos meu avião não foi sugado pelo LHC. Mais uma teoria da conspiração pro buraco.
E aí vamos ver se o mundo acaba em 2012, se o planeta Nibiru (Nabiru, esqueci o nome) vai passar pertinho da terra e deixar um monte de reptilianos pá cabá cum nóisi. Eu, pra variar, tô morrendo de medo.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Manchester

Ai que nem sai do hotel. Tipos, preguica. Fiquei assistindo aos programas britanicos na TV. Adorei um tal de eggheads onde o povo tem que responder perguntas pra ganhar dinheiro.

Ai perguntavam pra vovozinha alguma coisa sobre a China. E ela dizia que nao sabia porque nunca tinha ido a China. Huahuahua. E ai perguntavam pro estudante sobre algo referente a Africa. Obviamente ele nao sabia porque nunca tinha ido a Africa. Adooooooooooooro as desculpas. Super hype fazer a phynna humilde pra esconder a burrice.

Alguem ai me diz qual e a capital do Usbequistao?

Ok, sorry.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

O que tem pra fazer em Manchester?

Em todo caso, trouxe o CD do The Sims 2.

Pfff. Disse a mesma coisa em Birmingham e adorei aquela cidade feiuca. Adoro UK. Adoro esse montão de gente do subcontinente, nunca vi uma libanesa gostar tanto da raça. Mas queria mudar meu paqui por um indiano, acho muito mais hype.

Começo aqui a campanha: encontre um indiano para a libanesa. Quem me mandar perfil tosco de Orkut eu vou mandar tomar no cu (já vi que a minha caixa postal vai chover com indianos que querem ser meus freinds).

Eu ia pra Canal Street com uma inglesa lôca da buceta. Mas estamos cansadas. :( Pra quem não sabe, a Canal é a Gay Village daqui. Dóro. Queria descer até o chão com New Order.

Mas gente. Não é a mesma coisa. O dia gay da Zync lá em Dubai não chega aos pés da Lôca. Não tem DJ Pomba, não tem meus amigos, tem muita racha puta da Rússia. Blergh. Vou tentar trocar mais um Jo-Burg por UK.

Só nos vôos para cá eu posso comer chicken karahi.

Chicken-fucking-karahi.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Nintendogs

Sou uma nerd feliz proprietária de um Nintendo DS. Comprei saporquê? Pra jogar Nintendogs. Porque é bonitinho, chei de cachorrinho. Estou me divertindo horrores com o Labrador and Friends. Já recriei minha falecida poodle toy, a Tati, e o bebê do meu gorducho Henry, um vira-lata obeso que tem pelo duro e minha mãe tosa como tal, e todo mundo acredita que ele é um schnauzer tamanho XGG.

http://www.nintendogs.com/

Amo muito - desculpem-me, mas estou tento chiliquinhos histéricos cheios de progesterona com esses filhotinhos virtuais.

Mais um aerofofo!

Finalmente um dos meus amigos mais queridos aqui de Dubai (e pra vida toda porque eu simplesmente o amo de paixão e de loucura) estreou seu próprio blog: Ka na gringa.

Kalil é libanês genérico, assim como yo (como se pode notar pela falta de H no nome). Pelo menos o árabe dele é bem mais avançado do que o meu. Espero ler no blog as histórias hilárias que acontecem com ele - que a gente se mata de rir e pede para que ele conte mais uma vez.

Sem falar que ele é o rei do tiro ao pato no meu video game genérico (um Nintendo 8 bits que comprei no Carrefour do Mall of the Emirates por 38 Dirhams, ou seja, menos do que 20 reais!!!), faz feijoada haram como ninguém e adora Catuaba.

Esperamos fotos, também. Porque, além de tudo, ele é gatíssimo.

mwah

Template exclusivo para este blog encomendado no Templates da Lua