sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Bom dia, Moscou.

Minha viagem a Moscou começou com um atraso de 30 minutos causado pela névoa do aeroporto. Nosso vôo decolou com menos de 20 passageiros na econômica - ninguém gosta de voar no ano novo. O vôo foi excelente e, entre os pouquíssimos passageiros a bordo tive o prazer de conhecer um casal de brasileiros e me diverti esclarecendo as dúvidas (e perguntas bizarras) durante o restante do vôo.

Nossa dor de cabeça começou com a burocracia russa. Lá no aeroporto resolveram encrencar com a chefe de cabine uzbeque. Não entendi o motivo até agora, mas nos seguraram por duas horas para decidir se a liberariam ou não. Justamente a pessoa mais querida do vôo (e olha que toda a tripulação é excelente) acabou ficando para trás: foi deportada para Dubai.

Climão. Estamos com uma tripulante a menos e justamente a ÚNICA que fala russo. O que tornaria o vôo inviável legalmente falando, mas, enfim. Vejamos se nos enviam uma nova "russa".

Saímos do aeroporto depois das cinco da tarde e ainda encaramos uma hora de trânsito. Meu coração pulava pensando na Praça Vermelha, no Kremlin, no Khriusha (um porquinho russo falante que já apareceu no Muppets Show). Ao chegar no hotel só queria subir ao quarto, tomar um banho longo, vestir algo bem quentinho e sair com a tailandesa e o romeno para nos divertimos nos pontos turísticos da cidade.

O que NÃO aconteceu. Porque o hotel estava cheio e demoraram mais de UMA hora para encontrarem um quarto pra mim. E não estava a fim de discutir, afinal, eu já tenho um certo stress em ano novo (odeio virada) e não queria deixar a minha besta interior sair do corpo.

Uma colega búlgara desceu de banho tomado e viu alguns de nós ainda uniformizados e aguardando. Ela ficou puta e botou o pau na mesa. Pois eu estava me segurando para não me irritar mas acabei irritada. Porque outra tripulação checou no hotel em nossa frente e ainda não tínhamos quartos. Ligamos para o chefe de equipe. E tivemos que ouvir um "ai que merda, né, sinto muito pelas meninas que ainda estão esperando".

Quando o relógio bateu as oito e todas as caveiras saíram para comer biscoito, encontro o piloto. Que olhou pra mim e me perguntou porque eu ainda estava de uniforme. "Ah, sabe, eu não tenho roupa, moço, e gosto de desfilar com a roupa da empresa". Expliquei o fato esperando que ele me ajudasse, mas ele se juntou ao resto da tripulação já de banho tomado e continuei esperando.

Cheguei no meu quarto às 20h10. Ainda tive que entrar em uma guerra de facão para conseguir ligar a internet e encontrar um adaptador de pino inglês. Lógico que toda a minha vontade de sair se foi pelo ralo. Decidi comprar um Big Mac na esquina mas não encontrei nenhuma casa de câmbio aberta (óbvio) e não aceitam cartão no McDonalds daqui. Dólar tampouco.

Voltei para o hotel caminhando sob 15 graus negativos ainda suja e com fome. Encontrei uma colega tailandesa na recepção. Decidimos jantar no hotel, mesmo. Não contávamos com restaurantes fechados.

Insipirei. Expirei.

Fomos até o piano bar ver se conseguíamos ao menos um snack ou amendoim e encontramos a tripulação. Mas não estávamos na voglia de nos juntar a eles (muita gente e muito álcool dá merda). Por sorte encontramos outras 3 dissidentes: uma egípcia, uma filipina e uma indiana. Nos justamos e subimos ao quarto da egípcia. Tivemos que pedir room service.

Por sorte as gurias eram excelentes e avessas às putarias dos layovers. Comi um strogonof de verdadinha e assistimos a queima de fogos pela janela do quarto, jogamos conversa fora até o sono bater. O que não foi ruim, ao contrário. Quando você está longe de quem ama no primeiro dia do ano, jantar com pessoas queridas é uma opção mais razoável do que congelar lá fora para bater uma foto da catedral de St. Petesburg.

O sono chegou e pegou pesado: acordei agora, 9h30 am local. Preciso estar pronta às 12h30 para retornar a Dubai.

Bem, pelo menos sei que volto para cá ainda em janeiro e terei a chance de ver o que não vi. :(

14 comentários:

Dean Moriarty disse...

Adorei ler o seu post para alegrar um pouquinho essa sexta-feira cinzenta aqui em Madrid, comigo trabalhando neste escritório semi-vazio, sem NADA para fazer além de coçar e ficar na Internet. Nada como ver histórias de mundos distantes e assim viajar um pouco, nem que seja virtualmente! Um dos meus flat-mates é "azafato" da Iberia e sempre me conta histórias hilárias de coisas que acontecem nos vôos...

Clebs disse...

Poxa que chato toda essa coisa russa que aconteceu com vc! Pense que a virada foi no mínimo diferente...

Feliz 2009 pra vc, muitos voos (não tem mais acento), muitas descubertas e diversão!

=)

Daniel disse...

Você aí na Rússia, mas o Alexandre jura que te viu aqui no Rio ontem. Nem te conto.

RMM disse...

Putz! Que saco! Não se impressione! É só um teste à sua resiliência e provavelmente todo o azar de janeiro já passou. Um grande abraço.

Fred Lavia disse...

Putz a coisa lá tava Russa!

Gustavo disse...

MATI.COTI.TAMBÔ

C'est la Russie! Conhece "grupo carrapicho... em RUSSO!"??

http://mais.uol.com.br/view/nmkpewmbfram/grupo-carrapicho-em-russo-04023670D4A12326?types=A&
Muito bom!

Tony Goes disse...

Ein gluckliches neues jähr!

Ai míssil.

Siamo a Rio, dove piove molto.

Gabba gabba hey!

deco disse...

Tb passei por isso várias vezes.Uma vez em New York esperei várias horas por um quarto.Era o de menor senioridade na trip.Que coisa estranha essa deportação.Mammy chegou bem.Quanto à Moscou é isto mesmo. Na próxima viagem,com mais tempo de pernoite vc conhece melhor. Bjs

Afonso Loureiro disse...

Sigo o seu blog há alguns meses e optei por o nomear para o prémio Dardos.

«Com o Prémio Dardos reconhecem-se os valores que cada blogger, emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os bloggers, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.
Este prémio obedece a algumas regras:
1) Exibir a imagem do selo;
2) Linkar o blog pelo qual se recebeu a indicação;
3) Escolher outros blogs a quem entregar o Prémio Dardos.»

http;//aerograma.afonsoloureiro.net

Zito disse...

Lib,

Me diz uma coisa, estou pensando em mudar pra Dubai... como é a vida gay la? eh essa coisa horrorosa que todo mundo fala ou é só uma viagem boba?

Bjooo!

Alexandre Lucas disse...

Extravagante =D

Celso Dossi disse...

Liba, menos 15? Odeeeeeio frio.
Aliás, achei que vc fosse tomar um solzinho comigo.
Feliz ano novo! :))

Anônimo disse...

Keep Writing!!

Love your histories!

Happy new year!!!

Kisses

YaudiLibnani

Gui disse...

FELIZ ANO NOVO, mesmo atrasado!
Muitas coisas boas pra 2009, ta?
Beijo.

Template exclusivo para este blog encomendado no Templates da Lua