terça-feira, 27 de janeiro de 2009

despertencimento.

Tento falar bem dos Emirados Árabes. Procrastino minha participação em dois blogs tentando encontrar maravilhas da terra do Burj al Arab e das ilhas artificiais. Não gosto de cuspir no prato que como, logo, por muitas vezes me calo. Tento me focar nas compras, nas liquidações da Donna Karan e motivos outros assim tão fúteis que me contentam.

Mas lembro que estou sozinha, longe de casa, longe da minha mãe e dos meus cachorros e dos meus amigos. Escolha temporária e feliz, afinal, duvido que alguém terá uma estadia perene aqui nos Emirados. E, porra, viajo de graça e me hospedo em 5 estrelas. Coisa que gente com peitica se esquece (ou finje) quando me chama de bandejeira. É, fia...

Gosto muito do que faço embora tenha que finjir ser alguém que não sou. São ossos do ofício, je sais, e em qualquer profissão temos que nos cobrir sob uma máscara mais simpática, mais tolerante e, quiçá, energética.

A gente tenta, porra!

Tento isso em mente, ontem fui a maldita Zinc - terra santa de comissários de bordo da empresa onde trabalho. Essa foi a segunda vez e confesso que fui a força (ok, porque queria muito rever meus queridos amigos Kalil e Rod, e ainda reencontrei a queridíssima Mari - o que fez o meu esforço valer a pena). Mas inspirei, expirei e pensei "porque não, afinal, aqui é tudo puta e viado mesmo".

Tentei ser legal, menos esnobe e até coloquei um vestido. Com muita manga, muito pano, afinal, estou em um país muçulmano.

Tenho um certo preconceito com boates e clubes noturnos. Você tira a racha da The Week mas a The Week não sai da racha e, sorry periferia, não tolero um lugar com tanta modinha sista, argolão na orelha, cabelos alisados, tênis de corrida + camisetinha Diesel. Diria que ali todos seriam isentos no imposto de renda mas, bah, não pagamos impostos nos Emirados - logo, esse meu critério levemente elitista não se aplica.

Confesso, também, que muito me apetece uma seleção de músicas dos anos 80 - embora isso seja so last week. Logo, topei a indiada.

Fiquei feliz com o carinho dos amigos. Isso é priceless. Mas ganhei uma queimadura de cigarro (segundo grau já que tenho uma linda bolha) de uma guria, isso não foi nada legal. Como dizia minha avó e eterna musa Diva Giannini: o preço da beleza é alto. Não vou me vestir do manto da hipocrisia e da falsa humildade em não reconhecer meu rostinho bonito, afinal, ainda sou, além de tudo, pragmática e um tanto realista.

Também não me sinto bem em lugares onde alguém levanta a saia da guria e ela empina mais a bunda. Ok, putaria existe em qualquer canto do planeta. Mas em um destino que é tão transitório, digamos, a promiscuidade acentua-se.

Acho que isso foi uma bela lição. Porque sempre me forcei a experimentar. Maldita curiosidade geminiana. Quando sinto minha dignidade ferida acabo embucetando e meu humor fica uma merda.

Agora repito a moi même 1001 vezes: bem feito, Bubu. No teu cu, não, urubu!

4 comentários:

Annah Paulah disse...

hehehe ain Karina.Eu sórriu hehehe
Fiquei imaginando você nessa Zinc.
Bom, ainda bem que sou ariana, daquelas que vontade é uma coisa que dá e passa.hahaha
Por mais que fico numa curiosidade de conhecer esse tal fervo.
Mas deixa quieto.Fico com meus shows sertanejo universitário. haushausauha

Beijogatatôsemcréditoprateligáh hauhsuahsuahs

;)

paulo disse...

adoro te ler.voce escreve muito bem, natural ,escreva já um livro.a proposito, a minha filha te adora tambem , e ela é igualzinha a voce, eu imagino.sou de gemeos,3 de junho.um abração,paulo

Camilla disse...

Kkk, soh vc mesmo.
To esperando sua ligacao hj, hein? Tah melhorzinha?
E o tal Barasti, vc acha graca? Nao vi isso tudo que o povo fala lah naum...
Beijo!!!
Camilla. :)

Alexandre Lucas disse...

Mandando boas vibrações ;)

Template exclusivo para este blog encomendado no Templates da Lua