sábado, 11 de abril de 2009

Imundiça em Dubai

Tá dando o que falar o tal artigo que mostra o lado negro de Dubai. Recebi o link de várias pessoas via Facebook, Orcúte, Twitter, e-mail, pombo-correio, you name it. Recebi e-mail de um amigo estadunidense perguntando se estava bem, até meu ex-namorado (enterra, enterra, Pavinatto, preciso muito do seu trabalho) me encheu a caixa do Facebook curioso sobre a matéria.

Não leu? Toma:
http://www.independent.co.uk/opinion/commentators/johann-hari/the-dark-side-of-dubai-1664368.html

É extenso, em inglês. Mas vale a pena para os que acham que Dubai é a última gota de sharbat no deserto.

O que eu acho? Hm, infelizmente hei de concordar sobre o que o jornalista escreve sobre o regime de escravidão. Isso ocorre e realmente é de cortar o coração, inaceitável e repugnante. Sobre o resto me resta a única pergunta: se não gosta, porque não vai embora?

É sabido que europeus e anglo-saxões ganham muito mais do que asiáticos e negros. Um zé mané da austrália que lavava pratos pode conseguir um cargo importante de direção em uma empresa apenas por ser branco. Isso é fato, não é uma conclusão minha baseada em afetações esquerdistas ou teorias da conspiração. Está na matéria.

Não é a toa que grandes empresas aprontam pataquadas nababescas. Resultado de péssima gestão de gente sem PhD algum. Juntar mão de obra branca sem qualificação com a mão de obra marromeno qualificada made in Líbano, Síria e Jordânia dá cada aberração que nem lhes comento.

E minha supracitada pergunta (aquela em negrito) é meu passatempo favorito entre os native English speakers que aqui vivem e reclamam de absolutamente tudo. Não voltam porque não querem trocar a Tucson pelo carro 1000 lá em casa. Porque não querem encarar um emprego das oito às cinco e ganhar 1/3 do que aqui conseguem. Porque lá em casa ninguém consegueria o mesmo cargo sem um bom mestrado ou MBA enquanto, aqui, um bom colegial basta.

Então, fios, enfiem o rabicó e aceitem que tudo na vida tem um preço. Odeio gente que cospe no prato em que come.

Sei que viver em Dubai tem seu lado amargo, SIM. Não faço a Pollyana. Eu bem conheço o meu. Odeio vários aspectos de Dubai, mas engulo seco porque aproveito tudo o que possa ser aproveitado. E, no final, ainda acho que estou em lucro.

Quando não mais estiver, empacoto tudo e ciao, farewell. E não, não vou chochar Dubai. Ao menos não os nativos e a cultura que me acolhe.

E se não agüenta muçulmano, o que diabos faz por lá? Vá cair bêbado em outro lugar, sô.

7 comentários:

Alexandre Lucas disse...

Verdade. Todo lugar tem seu lado bom e ruim. Não existe perfeição.

abscondito disse...

Concordo em gênero, número e grau, na realidade o que as pessoas gostam na realidade é de reclamar, como você disse se estivessem em seus países trabalhando 8 horinhas iriam reclamar que ganham pouco, ou seja, reclamam de tudo por esporte rs.

Ana disse...

Hahuahauhauhuah!

Amanda disse...

Eu acho muito curioso a inglesada só se manifestar agora que a crise pegou. Duvido que a 5 anos atrás alguém se preocuparia com as condiçoes de vida dos labours, ou com as injustiças que acontecem por aqui.
Concordo com você que Dubai é uma cidade como qualquer outra, que tem seu lado bom e ruim, mas eu me recuso a entrar pro grupo do "Dubai is shit, my job is shit, my flatmate is shit, my roster is shit, the weather is shit", ficar por aqui reclamando a vida toda.
Acha ruim? Vai embora!
Tá com pena do peao que trabalha 14 horas por dia? leva ele pra casa!

Lady Metal disse...

Discordando um pouco: reclamar é saudável, significa que você ainda tem um pé na realidade - o que não pode é reclamar demais :)
E casos de gente segurando passaporte de mão de obra doméstica é clássico NO MUNDO TODO. O que não signifca que devemos fechar os olhos para o problema...

Ju (Dubai Verde e Amarelo) disse...

Não acho que Dubai seja um lugar perfeito, mas concordo 100% com vc: não gostou, vai embora!!!

Isso mesmo que vc disse, esse povo que andava de carro mais ou menos na Europa, veio para cá, para ganhar o dobro, sem pagar imposto...Alguns ainda pegaram empréstimos valendo 5x o que ganha. Até ai, TUDO LINDO!

Ai, a crise vem, eles são demitidos e obrigados a deixar seus porshes no aeroporto! E ainda vem reclamar de Dubai??? Faça-me o favor!!!

crpitsp disse...

Gostaria de uma ajudinha... Meu marido recebeu uma proposta para trabalhar em Ras Al Khaimah. É muito traumatico esta mudança para quem vive em SP, como funciona o custa de vida por ai? Quanto custa um aluguel, compras de mercado, escola, etc?
Agradeço muito sua atenção.
Roberta

Template exclusivo para este blog encomendado no Templates da Lua